Três perguntas que todo líder deve fazer para a nova década

Nos últimos dez anos, vimos mudanças impressionantes no mercado de trabalho, incluindo transformação tecnológica e novas formas de trabalho. Da mesma forma, podemos esperar grandes mudanças para a nova década, e gerentes e empresas devem estar preparados para enfrentá-las.

Para enfrentar com sucesso a década de 2020, é necessário que os líderes das organizações se perguntem se suas empresas contribuirão para o mundo nos próximos dez anos e como serão colocadas para permanecer viáveis em 2030.

Primeiro, minha organização tem um propósito claro que eu compartilho? É cada vez mais importante que as organizações atendam a todas as partes interessadas, incluindo clientes, funcionários, fornecedores, comunidades e o próprio planeta, não apenas os acionistas.

Consequentemente, eles precisam saber que os benefícios e o objetivo podem ser alcançados em paralelo, e que o objetivo deve servir a todos os interessados.

Imagem/Reprodução

Você precisa ser autêntico aos olhos das partes interessadas, pois elas precisam se sentir conectadas e inspiradas por esse propósito. É necessário haver mais do que algumas palavras em preto e branco na tela, pois, somente então, o objetivo será verdadeiramente incorporado ao DNA da empresa e gerará valor nas próximas décadas.

Segundo, como estamos preparados para atrair (e reter) a próxima geração de trabalhadores? A composição geracional dos trabalhadores muda a cada ano e, enquanto um enorme esforço está sendo feito para saber como as empresas podem atrair a geração do milênio, a Geração Z tem sido negligenciada.

Não devemos esquecer que os millennials mais antigos atingiram 28 anos em 2019, enquanto a Geração Z mais velha atingiu 23 e, em breve, representará 30% do mercado de trabalho.

Até que ponto conhecemos essa nova geração de trabalhadores? Precisamos adaptar nossa maneira tradicional de fazer as coisas para que nossa empresa seja uma opção de trabalho para elas? Como conseguiremos retê-los depois de incorporados? E, finalmente, como a tecnologia afetará nossos funcionários e suas funções? Como líderes, uma das perguntas mais importantes que devemos fazer é como a tecnologia e as perturbações afetarão nosso pessoal e seu trabalho.

E essa interrupção tecnológica será geralmente positiva, embora saibamos que ela levará à perda de algumas funções nos próximos anos, criando outras em seu lugar. Portanto, os gerentes devem identificar quais funções estão em risco de automação, ajudar seus funcionários nas mudanças e garantir que estejam preparados para isso.

Se a última década nos ensinou alguma coisa, não podemos prever o futuro. Ninguém pode. Mas o que podemos fazer é tentar nos fazer as perguntas mais inevitáveis, nos momentos de maior pressão, mesmo que não saibamos todas as respostas imediatamente.

Ao fazer isso, podemos nos posicionar na melhor posição para liderar nossas organizações em uma nova era de transformação.

Fonte: RH Press.