Como ser um líder em um clima de incerteza?

A disseminação mundial do coronavírus está causando um impacto total nas empresas, causando situações de incerteza, não apenas pelo medo de contágio, mas também pela queda na renda e seu impacto nos resultados. Portanto, os líderes devem adotar um comportamento apropriado para ajudar sua organização a permanecer segura, comprometida e focada em levar os negócios adiante.

Nesse ambiente complicado, como os gerentes devem agir? Esta questão André Ribeiro, vice-presidente da BTS, diz que há “em primeiro lugar, ter em mente que o medo ou preocupação diminui os níveis de colaboração em favor do interesse do povo, numa altura em que o seu comportamento é mais importante do que nunca. Portanto, é essencial que os líderes tomem decisões e as comuniquem claramente”.

Essas decisões devem ser tomadas de maneira rápida e inclusiva para serem eficazes, porque se os processos de decisão forem prolongados, serão mais caros e a ação será interrompida devido à falta de alinhamento. Por outro lado, os funcionários devem ser impedidos de preencher os espaços em branco, pois em tempos de incerteza as pessoas tendem a preencher os espaços em branco com o pior cenário possível; portanto, a comunicação é essencial para abordar diretamente qualquer questão ou dúvida.

Getty Images

Para André Ribeiro, as prioridades devem ser restauradas em tempo real. “As empresas precisam responder rapidamente, para ver o que fazer e o que não fazer. Se novas prioridades se sobrepõem às antigas, confunde os funcionários e nos leva a perder tempo, dinheiro e esforço em questões que não são mais relevantes”.

Outro aspecto fundamental em tempos de incerteza é construir confiança através da autenticidade. A esperança sem evidências leva a uma falta de confiança; portanto, é conveniente adotar uma abordagem baseada em fatos, sem negligenciar os principais interessados.

É de extrema importância desenvolver um plano e colocá-lo em prática. A crise do coronavírus pode ser um desafio emocional para muitas pessoas e pode exigir mudanças no dia a dia dos funcionários. É essencial criar um plano que inclua a possibilidade de trabalho home office, mudanças de estratégia, opções conservadoras e todas as ações que garantam estabilidade, liquidez e mantenham a cadeia de suprimentos naquelas de natureza industrial.

Para garantir o sucesso de um plano, as simulações podem ser um recurso valioso, pois oferece a possibilidade de líderes e membros da equipe praticarem decisões e ações, a fim de localizar desvios e erros, antes de serem implementados em marcha definitiva.

Outro elemento fundamental é a análise dos resultados, como disse Peter Drucker, “se você não pode mensurá-lo, não pode melhorá-lo”. Portanto, é conveniente acompanhar os dados obtidos e agir de acordo com as lições aprendidas.

Da mesma forma, é muito importante ter realizado previamente simulações, como o chamado Future Storming, que é o processo de identificação de riscos e tendências, que podem afetar os negócios ou o setor em que a empresa opera no futuro e combiná-los de novas maneiras de pensar e em soluções para mitigar esses riscos. “Essa experiência ajuda os líderes a se prepararem para diferentes cenários, como o coronavírus, que os motiva a desenvolver a capacidade de enfrentar incertezas, fortalecer a colaboração e reduzir o risco e o impacto de circunstâncias imprevistas no meio ambiente econômico”, conclui o gerente do BTS.

Fonte: Observatorio RH.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *