Pare de julgar sua vida para realmente vivê-la

De muitas maneiras, a busca pela perfeição é a melhor receita para o desastre. Existem muitas pessoas que nunca podem ser inteligentes, bem-sucedidas, magras ou bonitas o suficiente para atender às suas próprias demandas irrealistas.

Essa atitude exigente que muitas vezes temos em relação a nós mesmos muitas vezes divide nossas vidas em duas realidades: o que realmente está acontecendo e o que dizemos a nós mesmos sobre o que está acontecendo.

Ouvimos a expressão “viver no momento” tantas vezes que as palavras muitas vezes perdem o significado. Perdemos de vista o fato de que, na maior parte do tempo, permanecemos em uma espiral de pensamentos que têm pouco a ver com o aqui e agora, e muito mais a ver com demandas e exigências sobre o que deveria ser.

Mas como podemos deixar de julgar nossa vida e realmente vivê-la e apreciá-la? Aqui apresentaremos três elementos principais:

1. Silencie seu crítico interior:

Quer estejamos enfrentando uma tarefa importante ou simplesmente desfrutando de qualquer atividade agradável, nossa “voz crítica” estará ativando esse processo de pensamento que constantemente pergunta, critica e mina nossas experiências.

Sobre essa voz crítica, passamos a defini-la como uma voz interior que critica e mantém baixa autoestima, uma voz que sem a necessidade de confiar nas realidades intervém em cada uma das avaliações que fazemos da realidade que nos rodeia.

Essa voz interior nos diz que não somos bons o suficiente ou nos adverte que vamos perder tudo. Diz-nos que temos de ser especiais e perfeitos para valer a pena. Que devemos atender a todas as expectativas para ser pessoas valiosas. Ele grita para nós coisas como: “Se você não é o(a) melhor, você não é nada”. Quando recebemos um aviso, ele diz: “Você não merece”. Quando nos apaixonamos, ele sussurra: “Mais cedo ou mais tarde ele(a) vai te deixar. Isso não vai durar”.

Freepik

O que realmente acontece quando ouvimos essa voz crítica e venenosa? Que chegamos a perder todo contato com a realidade e criar uma realidade paralela e mais amável em nossas próprias cabeças. Algumas pessoas dão tanto espaço à sua voz crítica que não há espaço para mais nada. E embora ignorar ativamente e agir contra essa voz inicialmente a torne mais forte e mais violenta, é a única maneira de finalmente silenciar esse crítico interno que o drena e o afasta da realidade.

2. Não evite sentimentos dolorosos:

Viver no momento presente nem sempre é tão agradável quanto gostaríamos. A vida é cheia de uma grande variedade de emoções, incluindo dor e tristeza. No entanto, viver o momento garante uma existência mais ativa.

Não podemos experimentar o passado ou o futuro, e ainda assim gastamos grande parte do nosso tempo desperdiçado lamentando o que aconteceu e nos preocupando com o que está por vir. O momento presente é a única coisa que temos. Pensamos em tudo o que sentimos falta quando nos concentramos nas coisas que realmente não estamos vivendo.

A maioria de nós se envolve em comportamentos que entorpecem e nos paralisam, em um esforço para evitar dor e tristeza. No entanto, a tristeza traz alguns benefícios. Isso nos faz sentir vivos e faz com que nossa capacidade de felicidade cresça claramente. Por outro lado, o medo que nos motiva a evitar as sensações mais dolorosas geralmente nos deixa com um vazio importante.

3. Concentre a atenção:

Quando ouvimos nosso crítico interior, é como se estivéssemos nos vendo através dos olhos de outra pessoa. Temos que aprender a mudar o foco e nos tornar conscientes de procurar significado em nossas experiências. Obviamente, isso significa estabelecimento de metas, mas também significa aproveitar a jornada.

A vida tem a ver com a luta, não apenas estar lá. Você já estabeleceu uma meta de exercitar-se ou perder peso e se sentir um pouco vazio quando a alcançou? Isso acontece apenas porque a vida tem a ver com a jornada em si.

No caminho para uma vida plena, é importante desacelerar e prestar atenção. Não antecipe. Concentre-se menos na avaliação e mais na experiência real. Como Jon Kabat-Zinn, especialista em atenção plena, diz: “Preste atenção ao presente como se sua vida dependesse disso”. E se perder, nunca desista. Você apenas precisa voltar sua atenção para o momento presente.

Na verdade, é possível fortalecer a mente como um músculo, concentrando-se no que é desejado. A vida é valiosa demais para ser perdida na avaliação de nós mesmos e apenas a um passo de nossa própria experiência. Podemos viver nossas vidas mais plenamente, prestando atenção aos nossos sentidos e desejando sentir o que realmente estamos vivendo em um momento particular de nosso presente.

Fonte: Psicopedia.